Marcadores

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Jesus, porém, dormia...




Texto Bíblico: Mt.8.23-27

O texto bíblico em análise mostra-nos justamente o momento em que os discípulos enfrentavam uma tenebrosa tempestade, e trás um detalhe no mínimo interessante Jesus estava o tempo todo dentro do barco e dormindo...
Confesso que esta expressão, Jesus dormia... sempre me causou um certo incômodo, como também acredito que deve inquietar muitos leitores da bíblia. Pensamos, como poderia o Senhor dormir numa hora dessas? É  parece que o sono de Jesus não incomoda somente a nós leitores, dois mil anos depois do  acontecido, incomodou bastante aqueles que estavam com Ele no barco, a ponto de ter sido indagado: “Não importa que morramos...”, “ Não está vendo que perecemos...” Parece que aquele sono realmente não foi bem compreendido...
Todavia, lendo o texto por diversas vezes e também a experiência diária com  o Espírito Santo, nosso paracleto divino, após diversas indagações como estas, lembrando, Deus agrada-se em responder os nossos questionamentos, pude extrair algumas conclusões, as quais quero compartilhar com os leitores, vejamos:
Jesus nesse momento, como Verbo Encarnado,  embora fosse Deus, era também cem por cento homem, ou seja,  estava submetido as mesmas condições e necessidades do ser humano normal, portanto, o mesmo estava sujeito a sentir sede, fome, sono etc., logo, o texto  indica que aquele dia foi duro, muitas andanças, evangelização, desgastes do cotidiano e tudo isto redundou em tremendo cansaço físico que propicia um sono profundo, não é em vão que Bíblia diz: “doce é o sono do trabalhador”. Portanto, a primeira conclusão óbvia após entendermos a natureza humana de Jesus, o verbo encarnado, é esta, o sono era uma decorrência natural do cansaço físico.
A segunda conclusão a que chegamos é a de Jesus dormia porque conhecia e confiava nos seus seguidores. Isto mesmo Jesus confiava nos discípulos, pois todos eram homens acostumados com o mar, eram pescadores natos nasceram e cresceram envolvidos com o mar e os seus perigos, logo, o Senhor sabia que estes homens estavam preparados para enfrentar as dificuldades naturais daquele meio.  
Note-se também que o Senhor queria testá-los através daquela tempestade. Lembre-se o Senhor muitas vezes pode permitir as tempestades para testar a nossa fé e o nosso discipulado. Jesus havia lhes dado lições preciosas sobre a fé, e acreditava sinceramente que os seus discípulos haviam aprendido aquelas lições, tanto que descansou e resolveu testar o seu aprendizado.  Podemos nesse ponto extrair mais uma lição preciosa sobre o Evangelho de Jesus, pois o mesmo não se trata apenas de teoria, mas de prática, experiências e  manifestações concretas do poder de Deus. Quantos tem vivido um evangelho apenas de teoria, um mero academicismo teológico etc, mas sem nenhuma aplicação prática, cabe uma reflexão!
Jesus sempre se preocupou em ensinar e delegar.Jesus valoriza o trabalho em equipe, nunca gostou de trabalhar sozinho, preocupou-se em formar a sua equipe, investiu boa parte do seu ministério para escolher e capacitar estes homens. Portanto, o Senhor os julgava capazes de enfrentar e cumprir aquele missão e por confiar, descansou.
O texto nos revela ainda que problemas acontecem mesmo Jesus estando dentro do nosso barco, ou seja, enquanto estivermos vivendo neste mundo imperfeito estaremos sujeitos as intepéries  da vida. Muitos cristãos hoje, a exemplo dos discípulos naquele momento, quando chegam as lutas e problemas não tem um discernimento correto de como agir. Muitas vezes somos surpreendidos por ventos contrários, o fato de termos entregue a vida a Cristo, não nos isenta de passarmos por tribulações neste mundo. Todavia, o diferencial não está no simples fatos de passarmos por problemas ou não, mas sim na forma como enfrentamos e reagimos  a eles.
Neste texto o Senhor nos dá uma poderosa lição sobre a forma que Ele espera que os seus seguidores se comportem diante das adversidades.  Ao invés  de uma postura derrotista e entreguista o Senhor nos exorta a agir com fé e exercitar a autoridade confiada ao seus seguidores.
Jesus esperava que os discípulos resolvessem a situação, tanto que quando foi acordado exortou-os severamente: “...Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena Fé...”. Naquele momento a forma como os discípulos se comportaram, a forma desesperada como abordaram o mestre, revelou uma tremenda falta de fé, o que levou o Senhor a exortá-los severamente.
 Portanto, o Espírito ilumina o meu entendimento de que realmente há  coisas que o Senhor espera que a gente resolva. Como você tem se comportado diante dos problemas, das dificuldades da vida? Lembre-se exercite a sua fé através das tempestades, Ele já nos capacitou, já nos deu do seu Espírito e também nos deu autoridade,  diz a palavra do Senhor: “ Todo poder me é dado no céu e na terra”(Mt28.18), mas esse poder também foi delegado a Igreja, diz assim a palavra: “ Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões e todo poder do inimigo não vos fará dano algum”(Lc 10.19). Portanto, Jesus trabalha por Delegação, ou seja, Ele nos capacitou para fazer a sua obra na terra, não podemos nos comportar de maneira imatura, como meninos na fé, mas agir com maturidade e exercitar a sua autoridade delegada e resolver determinadas situações, sinceramente, acredito assim.
Por fim, o texto em análise a Bíblia registra que Jesus se levantou e repreendeu o vento e o mar e fez-se completa bonança. Logo, era justamente isto que o Senhor esperava que os discípulos fizessem. Diz o Senhor: “ em meu nome fareis obras maiores do que estas...”(Jo 14.12).
Assim, que o Espírito Santo possa iluminar o nosso entendimento a cada dia, diante das diversas circunstancias da vida para que possamos orar de maneira correta, não como meninos na fé, cheio de dúvidas e incertezas quanto a autoridade da igreja e as  promessas de Deus, mas que possamos agir como varões perfeitos, ou seja, pessoas que conhecem os seus direitos em Cristo.
Portanto, não se lastime, não responsabilize o Senhor pelos desacertos da vida, mas levante-se identifique as tempestades e ventos contrários na sua vida ou na vida de pessoas que estão sob a sua zona de influência ministerial e repreenda lançando mão da autoridade confiada a nós através do singular e poderoso nome de Jesus.
Vença as tempestades com atitudes que revelam um coração maduro e firmado  no Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário