Marcadores

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Manifestações Tardias Do Inferno


Texto Base: Lucas 16.19-31

O texto em epígrafe trata-se de um texto fortemente apologético e afirmativo sobre a existência do inferno, bem como o destino eterno diferente das pessoas após à morte física.
 È apologético pois joga por terra doutrinas equivocadas das seitas acerca do destino eterno. Por exemplo, desmantela a doutrina do sono da alma, onde algumas religiões afirmam que após a morte a alma entra em estado de repouso só despertando para o juízo final. Ao contrário, neste texto Jesus afirma categoricamente que após a morte todos os sentidos humanos estavam ativos, sentiu sede, calor, olhou, clamou etc, ou seja, a sua consciência estava plenamente ativada.
Desautoriza também a doutrina da reencarnação, uma vez que o mestre é incisivo sobre a impossibilidade de alguém voltar daquele lugar para o mundo dos viventes. Outra doutrina que não subsiste diante deste texto é a doutrina do purgatório, um meio termo entre céu e inferno, pois está bem claro a existência de apenas dois lugares, o seio de abraão – Céu, e o hades – lugar de tormento ou inferno. Céu e inferno, apenas.
Mas o que mais me impressiona é que no inferno, ao contrário do que se imagina, é um local de muita oração, súplicas, arrependimento e despertamento espiritual, todavia, serão manifestações tardias, sem efeito algum. Vejamos:
Abriu a visão espiritual. A Bíblia nos informa que no inferno o rico levantou os olhos, ou seja, teve a sua visão espiritual ampliada, reconheceu a sua real condição espiritual, embora fosse rico materialmente falando, não passava de um pobre miserável no tocante as coisas espirituais.
Lugar de clamor e súplicas. Naquele lugar de tormentas ele abriu a sua boca e clamou, até chamou Deus de pai e foi chamado de filho, mas já era tarde demais. Imagine alguém que levava uma vida de prazeres e baladas nunca tinha tirado um tempo para orar, agora clamava e orava fervorosamente, que pena, tarde demais!
Despertamento Missionário.
Observe-se que no inferno aquele homem até orou para Deus enviar pregadores, o seu desejo missionário foi despertado. Havia nele uma preocupação com a salvação das almas e propagação  do reino de Deus.
Clamor e interseção pela família.
Imagine alguém que nunca teve tempo ou se preocupou com a família, gastou o seu tempo em farras e orgias, agora demonstra preocupação com a mesma. Pede até mesmo para Deus levantar alguém para pregar para os seus familiares, preocupa-se desesperadamente com a salvação dos seus. Note que em nenhum momento ele pede para que Deus prospere os seus, não manifesta nenhuma preocupação com a divisão da sua herança material etc, mas clama e intercede pela salvação da família.
Caro leitor, quanto a este pobre condenado nada  resta a ser feito, todavia, o seu tormento, serve pelo menos de exemplo para nós que estamos vivos para valorizarmos as oportunidades que temos hoje de fazer algo para Deus e investirmos o nosso tempo e talentos em prol do reino de Deus. Serve de alerta para mim e você, pois estamos vivos e podemos fazer muitas coisas para Deus nesse tempo que se chama hoje. Lembre-se é tempo de orar, chamar Deus de pai, ampliar a visão, alcançar almas, preocupar e interceder pela família etc.

É tempo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário